DEIXAR DE FUMAR ENGORDA: VERDADE OU MITO?

Atualizado: Jul 23

Burn calories, not cigarrettes.

Comecemos por aí.


Sim, achei por bem pôr o dedo na ferida e lançar este tema logo a meio do verão quando os corpos se querem fit.


O receio de engordar ainda pesa na hora de decidir deixar de fumar. Não é tido como um deal breaker mas é, sem dúvida, um ponto a considerar.



A resposta ao dilema é: Sim e Não.

Não contava ter uma resposta logo ao início, certo?

Seguramente também não a esperava tão ambígua.


Dados estatísticos revelam que “fumadores em cessação tabágica têm tendência a aumentar de peso”.

Alegre-se ao saber que não, esta não é sempre uma realidade.

E que não, esta não tem de ser a sua realidade.


A nicotina é a única substância presente no cigarro que causa dependência física e psicológica.

Fisicamente, estimula a zona do cérebro que controla a sensação de apetite, ao mesmo tempo que estimula as glândulas que nos ajudam a controlar o peso. Por essa razão, a nicotina atua em centros que nos dão a sensação de saciedade e de prazer. Além disso, a nicotina também acelera o metabolismo, o que faz com que, quando se deixa de fumar, o corpo gaste menos energia.

Psicologicamente, o indivíduo quando deixa de fumar, fica carente de um conjunto de emoções associadas ao tabagismo. Na sequência disso, o organismo procura uma compensação com outros hábitos. Hábitos esses que podem acabar por promover o aumento de peso.


Passemos aos factos:


OS FACTOS: Porque é que deixar de fumar pode levar ao aumento de peso?

Comum a tantos, senão todos os outros aspetos da nossa vida, ter conhecimento é ter vantagem para poder contrariar as evidências.

A ausência de nicotina no organismo influencia as variações de peso das seguintes formas:


Aumenta o apetite: Tendencialmente, a nicotina faz reduzir o apetite. Por isso, quando se está num processo de cessação tabágica, privado desta substância, a vontade de comer é maior. Além disso, desenvolve-se um desejo especial por alimentos ricos em energia - açúcares e gorduras - uma vez que estes libertam no cérebro as mesmas substâncias que a nicotina (serotonina e dopamina: responsáveis pela sensação de prazer e de recompensa).


Além disso, quando deixam de fumar, as pessoas passam a ter uma maior perceção dos sabores e cheiros, o que faz aumentar a vontade e o prazer de comer.


Oscilações nos níveis de açúcar: Num fumador, os níveis de açúcar são mais elevados do que os de um não fumador, o que conduz a uma maior apetência por doces quando se deixa de fumar.

Altera-se o metabolismo em repouso: A nicotina promove um estímulo no organismo, levando a que o metabolismo seja mais acelerado. Ao deixar de fumar, este abranda.


Acumula-se mais gordura: A nicotina permite, através do seu efeito termogénico, que a gordura corporal seja mais utilizada como fornecedor de energia. Sem a nicotina, esta acumular-se-á em maior quantidade.


O vício de ter algo na mão: Os ex-fumadores mantêm, nos primeiros dias, o vício de ter algo na mão, ou de ter algo para fazer, substituindo, muitas vezes, o cigarro por comida. Binge eating, a tendência para estar sempre a petiscar ou a fazer pequenos snacks pode não abonar a seu favor, especialmente se não optar pelos alimentos certos.


Questão emocional: A nicotina é uma substância aditiva com ação antidepressiva - características comuns às da comida. Por isso, quando o indivíduo se vê privado de uma, recorre à outra, acreditando ser a forma de manter o equilíbrio emocional.


Mecanismo de compensação: Quando deixam de fumar, os indivíduos tendem a compensar a ausência do cigarro com a ingestão de comida para lidar com as emoções, para substituir uma fonte de prazer que deixou de existir ou até como um reward perante determinadas situações.



OS FACTOS: Estratégias para contrariar e evitar o aumento de peso

Menos um cigarro na mão não tem de ser sinónimo de mais um quilo na balança.

Estratégias ao nível da nutrição (seguir os princípios de uma alimentação saudável) e manter um ritmo de atividade física, é fundamental nesta fase.


Em relação às tendências de ordem fisiológica, aconselhamos que recorra a profissionais especializados que o irão ajudar a perceber o seu metabolismo e a traçar um plano adaptado às suas necessidades.


Não fique obcecado com essa questão: Este é provavelmente o melhor conselho/dica que lhe posso dar. Não deixe que esta questão o faça desviar do foco principal que é deixar a dependência tabágica.

Estabeleça um novo estilo de vida: É essencial que implemente um estilo de vida renovado: estabeleça previamente um plano alimentar, um plano de gestão do stress e um plano de exercício. Encare esta nova fase da sua vida e abrace estas mudanças com positivismo.


Consulte um nutricionista: Este profissional de saúde poderá elaborar um plano alimentar adequado às suas necessidades energéticas e estilo de vida.

No Viver Sem Fumo, aconselhamos o acompanhamento do Dr. Bruno Sousa – Nutricionista.


Refeições: Faça várias refeições ao dia, com pequenas porções de comida. Privilegie refeições/lanches saudáveis e assegure-se de que consome proteínas e fibras.


Beba líquidos: Sobretudo água: a água ajuda a libertar a nicotina. Evite o café e as bebidas alcoólicas, uma vez que potenciam/estão associados ao consumo tabágico.


Pastilhas elásticas ou rebuçados sem açúcar: Tê-los à mão, é ter o aliado perfeito para a fase inicial:aliviam a tensão dos músculos do maxilar e servirão de substituto quando sentir maior compulsão para fumar.


Lave os dentes: A sensação de frescura resultante não só desencoraja o ato de fumar, como a vontade de ingerir mais alimentos desnecessariamente.


Faça exercício físico: A atividade física diminui a ansiedade e a vontade de fumar. Isto não significa que tem de ir diariamente ao ginásio, apenas significa que deverá incorporar mais atividade física no seu dia a dia para ativar o seu metabolismo e queimar as calorias a mais.

Controle o stress: É essencial para conseguir deixar de fumar e não comer de forma compulsiva. Entre outros, recomendam-se exercícios respiratórios.

Pense em atividades que lhe dão gozo: Quando sentir vontade de fumar ou tiver fome, pratique uma dessas atividades.


Motive-se mentalmente: Quando sentir vontade de desistir, lembre-se porque é que começou. Volte a pesar os prós e os contras. Isso dar-lhe-á motivação para continuar.


Combine estratégias: Para ser bem-sucedido, deverá associar um método antitabágico a várias das estratégias recomendadas nos pontos acima.



Como grande parte das questões que fazem dividir opiniões, esta também não podia ser de resposta linear. Engordar ou não, depende de um sem fim de fatores, não é comum a todos os ex-fumadores e depende, principalmente, de si.


A receita para ultrapassar esta fase é ter força de vontade e discernimento para não fazer uma substituição de vícios, manter um estilo de vida saudável, com base na alimentação e na prática de exercício físico regular. Cada caso é um caso e só tem de adotar as melhores estratégias para que o seu seja de sucesso.


Se lhe apetecer um cigarro, não descarregue na comida. Lembre-se porque é que começou e tenha em mente que os benefícios de deixar de fumar serão sempre superiores a qualquer quilinho extra que possa vir a ganhar. Os ex-fumadores vivem mais tempo do que aqueles que mantêm o hábito, têm menores riscos de desenvolver doenças cardiovasculares e respiratórias e alguns tipos de cancro: e estes sim, são os pontos a ter em consideração.


P.S.: Voltar a fumar não o fará perder o peso que ganhou. Ao contrário do que a maioria das pessoas pensa, voltar a fumar não ajuda a emagrecer. O organismo não vai necessariamente acelerar e há vícios que se mantêm. O tabaco pode ajudá-lo a manter-se magro ao longo da vida, mas se engordar, o tabaco não o vai emagrecer.


As consultas para tratamento antitabágico podem ser agendadas através do número de telefone 800 919 035, 913520425 ou 291091927.


Pode ainda fazer o agendamento online no nosso website em https://www.viversemfumo.com/consultas ou enviar e-mail para o geral@viversemfumo.com.

As consultas com o Dr. Bruno Sousa – Nutricionista – podem ser agendadas através dos mesmos meios.


Os suplementos antitabágicos – Renew Breath Calm e Renew Breath Extra - podem ser enviados para qualquer zona do país e pode encomendá-los ao ligar para o 800 919 035 / 913520425.

99 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo